quinta-feira, 25 de julho de 2013

Àdúrà de Xangô - Candomblé Ketu

video
Àwúre lê, Àwúre lé kólé
Àwúre lê, Àwúre lé kólé
Àwa bo nyin maá ri àwa jalè Àwúre lê, Àwúre lé kólé.

Abençoe-nos e traga boa sorte à nossa casa, que ela não seja roubada. Abençoe-nos e traga boa sorte à nossa casa, que ela não seja roubada. Nós que o cultuamos, jamais veremos nossa casa roubada. Abençoe-nos e traga boa sorte à nossa casa, e que não venham.


Ó fì làbà, làbà.... Ò fì làbà Ó fì làbà, làbà.... Ò fì làbà.
Ele usa bolsa de couro... Ele usa bolsa de couro.


Ó jìgòn àwa lé npé ó jìgòn nlá Jìgòn àwa lé npé ó jìgòn nlá.
Ele é imenso, o maior de nossa casa, ele é gigantesco
Em nossa casa o chamamos de o maior entre os gigantes.


E kí Yemonjá ago, Tapa Tapa, E kí Yemonjá ago, Tapa Tapa.
Cumprimentemos Iemanjá pedindo licença a nação Tapa.
Cumprimentemos Iemanjá pedindo licença a nação Tapa.

 
Oba sà rewà ele mi jéé jéé, Kùtù kùtù awo dé rè sé, Oba sà rewà.
Rei que ama o que é belo, senhor que me conduz serenamente
antes do culto chega com o seu oxê, O rei que ama o que é belo.


Sòngó tó rí olá, Tó e tó rí olá tó.
É imensa, é imensa a riqueza que eu vi, Xangô, é imensa a riqueza que eu vi.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Você Não é Sua Pomba Gira


O texto que transcreverei a seguir foi escrito por Claudia Baibich e logo após farei algumas considerações finais.

"Médiuns  de  incorporações  não  desenvolvidos  ou  recentes  no  exercício de suas funções  mediúnicas  algumas vezes  confundem  a personalidade da entidade à qual servem, com a sua própria.
Quando incorporados, é normal que haja uma influência mútua, pois a entidade usa os recursos que o médium oferece para poder se manifestar. Esses recursos disponibilizados pelo médium à entidade são a somatória de seus conhecimentos, habilidades, crenças, gostos, moral, formação, educação etc.

E a influência da personalidade da entidade, também com seus conhecimentos, habilidades, experiências, gostos, temperamento e grau de evolução moral e espiritual.

Uma entidade responsável jamais irá influenciar o médium em sua vida pessoal, à ponto de aliená-lo de si mesmo, privando-o de seu poder de decisão e de expressão. Se isso estiver ocorrendo, a entidade em questão não é uma pomba gira guardiã. Pomba Giras nunca agem dessa forma leviana. A entidade à qual você serve, pode não gostar de seu marido, por motivos que provavelmente são justificáveis, mas jamais irá obrigá-la a deixá-lo ou traí-lo com outros homens. Isso não existe. Não ocorre em hipótese alguma.

Então se você quer justificar para si mesmo ou para os outros seus desejos e atitudes usando uma entidade tão nobre quanto as pomba giras de lei, das duas uma, ou você de fato está sendo manipulado por entidades levianas e se deixando dominar, ou você não tem o conhecimento necessário sobre si mesmo para poder avaliar quem de fato você é e o que quer realmente.

Procure fazer uma reflexão sobre o que verdadeiramente está ocorrendo. Quais são os seus projetos? Quais são seus medos? Está satisfeito com sua vida amorosa, familiar ou profissional? Reavalie seus pontos fracos, como lida com a raiva, com a inveja, com a frustração, com a traição, com o desejo sexual etc.

Irá descobrir que muitas das influências atribuídas à sua pomba gira são inerentes à você mesmo. Analise ainda suas preferências, gostos, que importância dá à sua imagem pessoal, se você é muito vaidosa e extravagante. Se não é você que faz questão de jóias, adornos e chamar a atenção das pessoas, por insegurança ou carências que na realidade são suas.

Você pode ser uma pessoa exuberante e brincalhona e no entanto trabalhar com uma entidade extremamente séria, nem por isso a entidade irá exigir que você abra mão do seu modo de se expressar e assuma a personalidade rígida dela.

O que a Pomba Gira pode e deve fazer é aconselhá-lo, encorajá-lo e ajudá-lo a fazer as mudanças necessárias em sua vida. Essas mudanças quando necessárias, devem ser planejadas através de um criterioso exame sobre si mesmo, as pessoas ao nosso redor e todas as consequências que acarretarão.

Assuma sua vida, conheça a si mesmo, conheça e respeite a entidade com a qual trabalha e seja feliz. Jamais transfira para as pomba giras a responsabilidade por suas atitudes".

Considerações Finais:

Cabe aqui diversas situações que infelizmente estamos habituados a ver em curimbas, como exus que beijam outros exus ou até mesmo pessoas da assistência na boca, exus que fazem sexo ou ao menos tentam persuadir as pessoas a isso, entidades que consomem drogas... enfim, uma entidade jamais teria liberdade para cometer tais atos, uma vez que devem vir à Terra para trabalhar e ajudar o próximo em seus anseios e aspirações.
Sua entidade não teria interesse algum em denegrir sua imagem, em lhe expor ao ridículo, não tem o direito de lhe ferir física ou moralmente, até porque sabem que sairiam das situações desacreditadas.
Como subjugar ou ferir a matéria que está lhe servindo como um instrumento de trabalho? Se você conhece entidades como as supra citadas, que gostam se sensualizar na hora da gira, que utilizam de drogas ilícitas, expõem ou ferem o médium seja da forma que for, desconfie... ou você está diante de alguém que está apenas mistificando ou diante de um espírito zombeteiro, sem preparo ou interesse algum em ajudar em sua jornada, pois ainda não atingiu o grau evolutivo necessário para isso.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Àdúrà de Oxum - Candomblé Ketu

video

A ri ide gbé o !!!
Omi ro a!! wàrá-wàrá omi ro O fi'de se'mo l'Òyó
Omi ro a!! wàrá-wàrá omi ro O fi'de se'mo l'owo
Omi ro a!! wàrá-wàrá omi ro O fi'de se'mo l'òrun

Aquela que consegue fazer soar as pulseiras como uma canção. Soam como o barulho das águas rápidas.
Ela balança as pulseiras em Oyó.
Soam como o barulho das águas rápidas.
Ela balança as pulseiras com respeito. Soam como o barulho das águas rápidas. Ela balança as pulseiras no Orun.


Òsun e lóolá imolè lóomi Òsun e lòolá
Ayaba imolè lòomi

Oxum, senhora que é tratada com todas as honras. Senhora dos espíritos das águas
Oxum, senhora que é tratada com todas as honras.

Yèyé yé olóomi ó, yèyé yé, Olóomi ó... Mãe compreensiva, dona das águas...

Ayaba balè Òsun Ayaba balè Òsun. A grande mãe Oxum toca (reverencia) o chão (a terra).

Ìyá dò sìn máa gbè ìyá wa oro Ìyá dò sìn máa gbè ìyá wa oro
A mãe do rio a quem cultuamos nos protegerá. Mãe que nos guiará nas tradições e costumes.

Igbá ìyawó igbá si Òsun ó réwà Igbá ìyawó igbá si Òsun ó réwà Àwá sin e ki igbá réwà Igbá ìyawó igbá si Òsun ó réwà.
Ibá iawó (cabaça contendo tecidos, roupas. alimentos e pertences da noiva) é para Oxum no dia do seu casamento.
Nós cultuamos a formosa noiva que recebeu linda cabaça de presente de casamento. Oxum estava linda no dia do seu casamento.

domingo, 7 de julho de 2013

Òrúnmilá, Òsún e Eerìndínlógun

 
Este é apenas mais um dos itans que mostra Òsún como a verdadeira dona do jogo de búzios, ao recebê-lo de Òrúnmìlá e tê-lo outorgado por Olódúmarè.

Quando Òlódúmarè criou seus 401 filhos.

Ele criou também 401 profissões.

Ele criou 401.

Ele disse que cada um deveria escolher a sua.

E havia Òrúnmìlá.

Ele não era forte como um cupinzeiro.

Segurar uma enxada era problema para ele.

Carregá-la era difícil até mesmo andar.

Não havia trabalho fácil para Òrúnmìlá.

Òlódúmarè disse:

- O que você vai fazer?

Ele disse que iria ser adivinho.

- Que tipo de adivinho?

Ele disse:

- Para tudo aquilo que as pessoas quiserem saber.

Foi Obí que ele trouxe para Òlódúmarè naqueles dias.

Se alguém falasse no Obí e jogasse.

Era Òlódúmarè que dava o conselho.

Então ele chamou Òrúnmìlá.

Que tinha um saquinho de adivinhação.

Òlódúmarè levou o saquinho de Ifá.

Ele disse que Òrúnmìlá deveria aprender a usá-lo.

Que se alguém quisesse algo, deveria falar com Òrúnmìlá.

Todos que quisessem perguntar deveriam ir à Òrúnmìlá.

E quando Òrúnmìlá olhou para o seu Ifá.

Tudo que eles queriam saber, Òrúnmìlá falaria.

O que quer que fosse Òrúnmìlá diria a eles.

Ninguém mais visitou Òlódúmarè (para adivinhar).

Eles passaram a visitar Òrúnmìlá.

Uma mulher que estivesse grávida há um dia,

Òrúnmìlá podia saber e assim em diante.

Então, Òrúnmìlá tornou-se adivinho.

Ele disse:

- Pai e sobre as folhas?

Òlódúmarè disse:

- Aquela que vem com problemas, esta é a folha que dará a ela.

- Aquele que vem com problemas, esta é a folha que dará a ele.

Então, Òrúnmìlá tornou-se adivinho.

E todos quiseram se tornar adivinho.

Egúngún queria ser um deles.

O Pai disse:

- Você que é forte?

Ògún queria ser um deles.

O Pai disse:

- Você que é forte?

- Você deveria ser comerciante.

Hoje todos os devotos de algumas divindades podem divinar.

Devotos de Șàngo, devotos de Òya e devotos de Òrìsálá.

Isso graças à Ọșun.

Era Ọșún que não deixava Òrúnmìlá descansar.

Não o deixava sair.

Tanto insistiu, até que Òrúnmìlá lhe ensinou divinação.

Foi com Ọșún que todos os demais aprenderam a divinar.

Mas Erinle não aprendeu, òrìsá Oko não aprendeu, Ògún não aprendeu, Egúngún não aprendeu.

Não receberam os dezesseis cawries.

Os dezesseis cawries de Șọpọná estavam sempre em sua mão, mas as lutas não o deixavam divinar.

Por ser frágil Òrúnmìlá se tornou divinador.

Ele cantava:

- Apodihọrọ, Òrìsálá Ọșẹrẹgbo.

O Pai teve 401 filhos.

Apodihọrọ, Òrìsálá Ọșẹrẹgbo,

O Pai criou 401 profissões,

Apodihọrọ, Òrìsálá, Ọșẹrẹgbo,

O Pai criou 401 talentos,

Apodihọrọ.

Deu aqueles que aprendessem um meio de vida,

Apodihọrọ.

Com aquele que aprendi, agora estou comendo,

Apodihọrọ.

Com aquele que eu aprendi, estou comendo Obí e pimenta,

Apodihọrọ.

Com quem aprendi, estou comendo sal e dendê,

Apodihọrọ.

Com quem aprendi ganho dinheiro com meu jogo,

Apodihọrọ.

Foi como Òrúnmìlá se tornou divinador.

Mas somente Òrúnmìlá se tornou adivinho.

Hoje todos os sacerdotes de certos òrìsá podem adivinhar.

Porém…


Fontes: Texto de Ary Carvalho (Da Ilha), publicado em O Candomblé: o mundo dos Orixás.
Imagem de Cláudia Krindges.

Retorno!!!

 
Olá Pessoal!!! Há bastante tempo não posto nada novo no blog. Com a correria do cotidiano o tempo fica cada vez mais escasso. No entanto, nunca deixei de receber e-mails e telefonemas de leitores, o que me toca e me deixa extremamente feliz, pois quando idealizei este projeto foi realmente no intento de trocar conhecimentos, dividir com todos um pouco do que eu sei e aprender com vocês também.
Retomo agora as atividades no blog, obrigado a todos pelo carinho.
Beijos e muito axé!!!!

domingo, 5 de agosto de 2012

Xangô - O Justiceiro

Este Orixá reinou em Oyó durante sete anos, onde destronou seu irmão Dadá-Ajaká. Xangô é o deus do raio e do trovão, e tem o poder de cuspir fogo; graças a um talismã que mandara Iansã buscar no território bariba. Por isso, no decorrer de algumas festas, quando Xangô se manifesta, aparece frente à assistência, trazendo sobre a cabeça um "ajerê" contendo fogo e começa a engolir, como na África, mechas de algodão em chamas. 
Diz uma de suas lendas, que Xangô e seus homens enfrentavam um inimigo terrível. Seus guerreiros capturados eram devolvidos aos pedaços. Xangô estava desesperado e pediu ajuda a Orunmilá. Xangô subiu no alto de uma pedreira e enfurecido batia nas pedras com seu machado, arrancando faíscas que se transformavam em línguas de fogo que caíam sobre os inimigos, transformando a guerra perdida em vitória. 
Os inimigos capturados foram poupados por Xangô, este julgamento foi admirado e cantado por todos, transformando Xangô no Orixá da justiça.

Camasi Guimarães.

Ogum

Este Orixá é provavelmente o deus Iorubá mais respeitado e temido. Extraiu das entranhas da Terra o ferro e com ele fabricou as armas, tornando-se o mais poderoso dos guerreiros. Conta uma de suas lendas que depois de muitos anos ausente, Ogum chegou em Irê, durante uma celebração, na qual as pessoas deveriam se conservar em silêncio absoluto. Como ninguém o havia saudado ou respondido suas perguntas, Ogum enfurecido, passou a despejar sua ira contra as pessoas e objetos que encontrava ao seu redor. Depois de muita destruição, seu filho apareceu e lhe esclareceu o fato.
Arrependido, Ogum lamentou seus atos de violência e declarou que já vivera bastante. Abriu um buraco com a ponta de seu sabre e desapareceu terra a dentro. Antes de desaparecer, entretanto, ele pronunciou algumas palavras. A essas palavras, ditas durante uma batalha, Ogum aparece imediatamente em socorro daquele que o evocou.

Camasi Guimarães.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Se...

Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.
Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
Feliz Natal a todos!!!!!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Reza de Oxalá no Candomblé

Baba Durode
Baba Durode Ajale
Baba Durode
E Kewa Já
Baba Oje O
Abuké Kewa Já
Baba Oje
E Bere Iko
Kewa Já
Baba Oje
Aso Funfun Go Iya Pi
Ala Funfun T’ori Sala
A E Ajale O
Aso Funfun Go Iya Pi
Opere Kete
Opere Kete Baba
Obi Wala Ago Injena
Opere Kete Baba
Ago Ala
Ala Osu
Osu Kekere Ile
Ago Ala
Ala Osu
Baba Durode

Reza de Xangô no Candomblé

Obanisa Re Loke Odo
Oberio Ma
Obanisa Re Loke Odo
Obakoso Ayo
Aina Ina A Ina Ma
Ina Ina
Obakoso
Obakoso Arae
A Ina Ina
Obakoso Arae
Obakoso E
Mojubá
E Losi
Baiya Mi
Sere A Lado
E Mojubá
E Losi Baiya Mi